entre em contato conosco
11 5549.7799

Notícias 9/8/2018 12:25:56 » Por Leonardo Lelis (MTB 56291) Atualizado em 9/11/2018 14:0h

UGT-SP realiza seminário sobre sindicalismo pós reforma trabalhista

Palestrantes e sindicalistas debateram ideias e propuseram ações para reestruturar as entidades sindicais diante da nova lei trabalhista





Seminário foi realizado no Centro de Lazer da Fecomerciários, em Praia Grande/SP

A União Geral dos Trabalhadores do Estado de São Paulo – UGT-SP realizou, nos dias 30 de julho a 1º de agosto, seminário para debater, refletir e propor ações que reestruturem os sindicatos no combate aos efeitos perversos da Lei 13.467/2017, conhecida como “reforma trabalhista”.

O evento, sediado no auditório do Centro de Lazer dos Comerciários do Estado de São Paulo, em Praia Grande/SP (Fecomerciários), contou com a participação de mais de 300 sindicalistas, representantes de 130 sindicatos filiados à UGT-SP. 

Foram apresentadas palestras com os temas: Sindicalismo na Conjuntura Nacional; Negociações Coletivas Pós Reforma Trabalhista e Custeio das Entidades Sindicais. Os palestrantes foram unânimes ao afirmarem a lei da reforma trabalhista retirou direitos dos trabalhadores e enfraqueceu a representação sindical.


Secretário de Finanças da UGT-SP e presidente da FETHESP, Rogério Gomes

Na abertura do seminário, o secretário de Finanças da UGT-SP e presidente da Federação dos Empregados em Turismo e Hospitalidade do Estado de São Paulo – FETHESP, Rogério Gomes, disse que o evento foi preparado para encontrar, junto com os sindicatos filiados à central estadual, um caminho no momento em que a reforma trabalhista coloca o movimento sindical em xeque.

De acordo com Gomes, apesar de todas as maldades que a nova lei trouxe para os trabalhadores e o sindicalismo brasileiro, há um ponto positivo. “Com o princípio do negociado acima do legislado, você tem infinitas possibilidades de buscar aquilo que os patrões falavam que a lei não deixava fazer. Por exemplo, antes a lei permitia o desconto de 6% para o vale transporte, agora nós vamos reivindicar VT sem desconto, porque o negociado prevalece sobre o legislado”.

“Ainda há jeito de começar uma nova batalha e um novo trabalho. Quem estiver na rua e fizer um bom trabalho vai encontrar esse caminho. E nós, da UGT-SP, não aceitamos ficar calados. Queremos apontar caminhos e trabalhar efetivamente para reconquistar os trabalhadores e mostrar para esse governo que, independentemente da tentativa de acabar com o movimento sindical, a nossa união no Estado de São Paulo nos fortalece e garante o nosso trabalho”, concluiu.


Sindicalistas de 130 entidades filiadas à UGT-SP participaram do evento


NOTÍCIAS RELACIONADAS

FETHESP - Copyright ® 2018 - Todos os direitos reservados. Desenvolvido pela Maquinaweb